domingo, 2 de março de 2014

O Marketing do Profissional*

Por Gaudêncio Torquato**

Milhares de pessoas dentro do universo empresarial estão insatisfeitas com a sua situação. Ou ganham pouco ou estão desajustadas no ambiente de trabalho, têm atritos com os chefes ou mesmo frustram-se ante as remotas possibilidades de crescimento profissional. Abate-se sobre elas uma terrível frustração, que vão corroendo seu ânimo e exaurindo suas energias. Que fazer? Deixar que o processo de obsolescência acabe por mergulhar a pessoa em uma depressão profunda, tomar uma grande decisão e mudar completamente de rumo ou encontrar meios e formas que, integradamente, possam tirar a pessoa do estado letárgico em que se encontra? Pessoalmente, sou favorável à última alternativa. É arriscado mudar radicalmente de posição, aconselhando-se o bom senso de se procurar via mais lógica de medidas que venham soerguer paulatinamente a pessoa.

Planejar o projeto de vida, eis aqui uma fórmula que pode funcionar para pessoa como “a varinha de condão” do crescimento. Para muita gente, o conceito planejamento é algo abstrato, longínquo, difícil de ser alcançado. No entanto, trata-se de um preconceito que precisa ser enfrentado. Planejar é simplesmente definir rumos, escolher meios e decidir sobre a oportunidade das ações.

Acredito que todas as pessoas que tenham agido com mentalidade de marketing deram-se bem. O desafio que se coloca preliminarmente é o de pensar mercadologicamente. O treino cotidiano faz parte da estratégia de incorporar o marketing às rotinas profissionais. Portanto, o primeiro passo é acreditar que um bom planejamento de marketing pessoal pode favorecer o crescimento profissional. Para facilitar a decisão e compreensão em torno do marketing pessoal, passo a apresentar um decálogo que pode ajudar a quem acha que já é tempo de mudar de posição.

1.Definir Objetivos – A definição dos objetivos começa pelos limites até onde uma pessoa quer chegar. Significa decidir-se por uma posição, posto, profissão ou cargo. Quando os objetivos não ficam claros, as pessoas tendem a cair no vazio das indecisões, arrefecendo o ânimo e amortecendo a vontade.

2.Adequar a apresentação  pessoal – Essa recomendação tem por objetivo ajustar a identidade e a imagem da pessoa. Isso se consegue estabelecendo ajustes na forma de apresentação pessoal – trajes, comportamento, gesticulação – procurando-se, evidentemente, incorporar detalhes, formas e posições que estejam concernentes à sua identidade e aos seus objetivos.

3.Aperfeiçoar a comunicação – Abrange um conjunto de ações relacionadas à melhoria do discurso (substância) e maneira de interlocução (forma de comunicar-se). Aconselho leituras de jornais, revistas (economia, política, ciência, artes e espetáculos, cultura, etc), livros de ciência política, economia e administração, perfis de grandes realizadores, história contemporânea. O homem moderno não pode estar à margem dos acontecimentos que fazem a vida, nos diversos campos do conhecimento. Saber usar tais conhecimentos, em momentos adequados, é uma estratégia que dará bons resultados.

4.Aprofundar-se no campo da especialização – Além do entendimento geral das coisas, será necessário um domínio mais completo e profundo em torno de determinadas áreas de interesse profissional. Nesse sentido, aconselho a leitura permanente de conteúdos especializados, por meio de consulta a periódicos, participação em cursos, palestras e eventos específicos no campo da especialização. Princípio recomendado: querer ser o melhor no campo. (É difícil, mas o princípio ajuda a pessoas a saírem da redoma).

5.Ampliar faixa de relações – As rotinas levam as pessoas à acomodação, tornando-as participantes de feudos mentais. É preciso quebrar o círculo de amigos e vizinhos, ampliando o circuito de conhecimentos com a incorporação de novas pessoas no jogo da interlocução. O enriquecimento sócio-cultural depende também da ampliação do discurso. Se possível, procurar contatar líderes, pessoas que fazem trabalhos comunitários, gente que está situada no chamado circuito da formação de opinião.

6.Aproveitar melhor os conhecimentos – As pessoas tendem, normalmente, a ficar quietas em seu canto, numa atitude de recatado uso dos conhecimentos. Tal atitude não combina com o sentido pró-ativo dos tempos modernos. Se uma pessoa leu algo que lhe interessou, deve tentar passar adiante tal conhecimento; se aprendeu nova técnica, deve procurar implementa-la; se travou relações de amizade com uma pessoa, deve procurar estreitar as relações. A recomendação é no sentido de fazer girar o conhecimento adquirido. Não trancá-lo a sete chaves. A medida dará resultados positivos.

7.Formar uma base mínima de organização e memória – Muitos conhecimentos, situações e fatos do dia-a-dia profissional são rapidamente esquecidos. Há pessoas que estão sempre começando coisas, porque perderam parcela substancial de sua memória profissional. Aconselho o mínimo de organização: um bom arquivo, fichas de situações, catálogos, listas de endereços e telefones, cópias de trabalhos, próprios de outros autores. Se puder utilizar-se de computador, melhor. A memória é extremamente importante para o avanço profissional. Tente comprovar.

8.Estar atento às mudanças e circunstâncias – Acompanhar as mudanças nas áreas da política, economia, negócios, expansão empresarial, posições e cargos na empresa, possibilidades de crescimento profissional – eis aí um resumo dos itens que um profissional deve eleger. Suas antenas precisam estar ligadas a qualquer alteração de rota. Pois poderá precisar tomar decisões rápidas ante circunstâncias. Se estiver por fora dos fatos, certamente vai dançar...

9.Fazer as coisas com emoção – “A emoção é necessária, porque sem ela não se pode  viver. O importante é sonhar e ser sincero com seu sonho.” A frase é de Jorge Luiz Borges, o grande argentino que deu à literatura latino-americana um status de primeira grandeza. Sem emoção, a vida perde a graça. Para um profissional, vida sem emoção não tem sentido.

10.Ter coragem de arriscar-se – “Somente aqueles que se arriscam a ir muito longe têm possibilidades de descobrir até onde podem chegar.” A frase é de T.S. Elliot e, certamente, resume um projeto de crescimento. Quem quer ir longe não pode ficar no mesmo lugar sempre. Quem quer enfrentar novos desafios não pode se acovardar. Quem quer sentir diferentes gostos da vida deve procurar novos temperos. Para crescer, o risco é importante.

*Texto extraído do livro, "Cultura - Poder - Comunicação e Imagem: Fundamentos da Nova Empresa", Gaudêncio Torquato, editora Thomson Pioneira.

**Gaudêncio Torquato é jornalista, analista político e consultor em comunicação e estratégia para empresas.

Nenhum comentário: